Desbravando! Parte 1.

Salve galera! Parando pra pensar em como a maioria das pessoas (não todas, mas a maioria) viajam para tantos lugares, mas não descobrem às vezes 1/3 do que está na região de suas cidades resolvi sair pela região da minha cidade em busca de paraísos perdidos! E como a primeira parada nesse calor incessante, mas que eu amo, nada melhor que uma cachoeira para refrescar o corpo e a alma. Vamos dividir esse desbravamento em várias partes, cada dia falando de um lugar que eu encontrei pra mostrar pra vocês! Eu moro na região meio-oeste de Santa Catarina na cidade de Caçador, como é uma cidade afastada dos grandes centros do estado, é mais fácil sairmos daqui para outros lugares em busca de diversão e conhecimento do que ficarmos por aqui e até mesmo outras pessoas virem para cá. 

Caçador, 32 graus e no último fim de semana a solução foi ir atrás de cachoeiras para aliviar a temperatura, os pontos de parada foram no Castelhano e na comunidade de Caixa d’água. Mas lembre-se leve sempre repelente e protetor solar, além do mais é aconselhável ir de calçado fechado e levar o chinelo na mochila ou bolsa, nunca se sabe o que você pode encontrar pelo caminho. Uma toalha ou um cobertor velho também podem ser úteis se você não curte sentar diretamente no chão da mãe terra! 🙂

A  primeira parada foi na Gruta de Nossa Senhora de Lurdes no Castelhano que tem 56 anos de existência na cidade e recebe constantemente visitas de devotos da santa. Nela você pode seguir a trilha de entrada e se deparar com a capela e bancos para sentar e fazer seu momento de reflexão e admirar lá do alto uma pequena vista da cachoeira. Perto da entrada, em cima da ponte já é possível ver a beleza das águas que correm por ali. A descida até o rio fica escondida entre o matagal da rodovia então é preciso tomar muito cuidado ao ir lá. Quando o rio está alto NÃO é aconselhável descer para conhecê-la mais de perto já que a correnteza torna-se muito mais forte, muitas mortes já ocorreram no local por descuidos das pessoas então também não aconselho querer descer além do limite de segurança.

Castelhano:

DSCF6590.JPG

DSCF6588.JPG

A segunda parada foi em uma cachoeira na comunidade de Caixa d’água. Não tão grande, mas não menos linda por isso. Para chegar até lá leva-se em torno de 30 minutos partindo do viaduto em frente ao restaurante O Monge. Já no local para chegar até a cachoeira é preciso realizar uma descida um tanto íngreme, mas bem sossegada. A água é bem gelada e o sol quase não pega diretamente lá por conta das árvores que a cercam, mas vale super a pena!

Cachoeira da comunidade de Caixa d’água:

DSCF6597.JPG

Logo mais o Dark Blue Diamond mostrará mais paraísos perdidos no meio-oeste Catarinense! Obrigada por terem visitado o blog!

Beijos de Luz!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s