Destroços do meu ser…

Hoje é um daqueles dias que eu não tenho controle algum
Nem sobre mim, nem sobre por onde ando.
Eu não conheço minha força
Ainda não foi preciso usá-la totalmente para que eu descubra
Mas ela é destruidora, disso eu sei.
Ela abala, arrasa, acaba com algo concreto e forte o suficiente
Cultivado por anos, acaba.


Eu não sinto que é correto
Mas é impossível dizer que está errado quando a raiva me domina…
É… É simplesmente impossível!
Já tentei usar apenas as palavras que não lhe machucassem
Mas você jamais aceitou a ideia de que não podemos continuar juntos
Jamais aceitou que eu pudesse continuar sozinha
Essa é a verdade.
Meus olhos doem na vontade de derramar lágrimas e mais lágrimas para eliminar a dor
Mas eles não querem que você veja a evidência de minha fraqueza
Não tão claramente assim.
Eu resisti por muito tempo suas torturas
Mas chega uma hora que tudo o que parecia fácil de contornar, aceitar calada
Já não tem mais base que sustente
É assim, simples assim
Acontecer uma explosão e você ser o principal alvo
Porque, sim, você que fez eu guardar tudo aqui no meu coração para me ferir
Mas foi você quem se feriu quando veio a tona
Os sentimentos, as sensações de medo, a fúria…
Aguente a dor que eu tanto senti por um dia
Suporte toda a mágoa que eu guardei por um instante
Sinta a dor, sinta a dor
Ela queima, não?
Sinta apenas por alguns minutos como é estar no meu lugar…
Como era estar com você quando me entristecia e matava aos poucos apenas
com suas imbecis palavras..
Saiba que elas ferem muito
Elas queimam, não?
Eu não sei como aguentei por tanto tempo, realmente não sei.
Quando o cataclisma ocorreu me surpreendi com sua força, pois era tanta
Como suportei?
Não sei, realmente não sei.
Naquele certo dia em que resolvi abrir os olhos da alma
E olhar para o ferimento que me causou eu me assustei sim
Como não? Não é? Você mesmo disse que eu iria ver um dia a verdade
Só não disse que ela apareceria estampada na sua cara
Derrubando sua máscara.
Eu posso me arrepender um dia de dizer tudo isto, talvez amanhã, não sei.
Eu posso chorar ao olhá-lo um dia e não poder voltar no tempo
Posso me culpar por apenas deixá-lo para trás com parte do meu passado
Eu posso me arrepender, sim, eu sei disso…
Mas tudo o que coloco aqui é apenas o que se passa dentro de um coração ferido
Queimado com palavras, ferido com gestos, torturado com repreenssões,
Inúteis repreenssões…
Eu havia naquele dia lhe dado um voto de confiança, mas você nunca o aceitou
Sempre preferiu cuidar meus passos na tentativa de me proteger
Pois bem, você apenas me afastou de você
Você apenas demonstrou em atitudes que eu deveria me afastar de você
E agora?
De que adianta arrependimentos se você apenas colheu o que plantou
Imbecis palavras…
Saiba que elas ferem muito
Elas queimam não é?
Agora você sente a dor pela qual me fez passar
Como suportei?
Eu não sei, realmente não sei…
Mas agora eu sei da verdade, eu sei qual a sua realidade
Alimentando falsas faces, criando momentos de ilusão, usando disfarces
Enganando a quem um dia te confiou um segredo
Você ateou fogo a confiança
Deixou-a queimar, seu sorriso era de satisfação, seus olhos demonstravam alegria
Mas não percebeu que ao queimá-la você também queimou tudo o que tinhamos há anos
Foi simples pra você na hora, mas quando a máscara caiu você viu a dificuldade
que há para superar uma perda
Seus impulsos derrubaram suas máscaras
Agora, sinta a dor…
Imbecis palavras, inúteis atitudes
Elas ferem, não é?
Sinta a dor de uma mágoa…

 

Imagem por Maria Fabíola

4 comentários sobre “Destroços do meu ser…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s